• LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon
  • Instagram Social Icon
  POSTS recentes  
Please reload

Evento sobre as cosmovisões das culturas de pertencimento indígena no Brasil tem participação de membros do NUPEHL

10.04.2019

Na manhã desta quarta feira foi realizado, no auditório da Biblioteca Central da Universidade Estadual da Paraíba, um colóquio sobre a questão indígena e suas variadas representações. Promovido pela coordenadoria do sistema Integrado de Bibliotecas (SIB) da UEPB e tendo como base o projeto de extensão "Obra do mês", o evento contou com a participação de professores, alunos da pós graduação e de diversas graduações da UEPB E UFCG, além de alunos do ensino médio de escolas públicas da cidade.

A obra de Angyone Costa, "Indiologia" (1946), foi o ponto de partida para os debates em torno da questão indígena, que contou com a participação do Dr. Flávio Carreiro de Santana (mediador) e da Dra. Luíra Freire Monteiro, membros do NUPEHL, com a Dra. Juciene Ricarte (UFCG) e com os indígenas Pedro e Sônia Potiguara, professores da Escola Indígena de Marcação - PB.

Na ocasião a professora Luíra Monteiro abordou a historiografia como mecanismo de criação e cristalização de algumas representações sobre os indígenas, alertando para as modificações ocorridas no fazer do historiador e nas novas perspectivas sobre os índios do Brasil, trazidas pelas pesquisas mais recentes.

"O indígena passou de personagem da história para sujeito histórico, com atuação, vontade, desejos e interesses, o que impõe aos mesmos responsabilidades na formação de uma nova sociedade. Uma vez que em suas alianças tiveram acessos a sesmarias, mercês reais, e até hábitos nas ordens militares, não se pode mais vislumbrar o indígena apenas como mera vítima do processo de conquista e colonização. A despeito de serem quase exterminados, eles também se adequaram a este processo, seja nas preações e nos descimentos, seja nos combates e na escravização de outros indígenas", afirmou a professora, ministrante do componente curricular História da Paraíba.

O relato das práticas culturais dos potiguaras marcou o ponto alto do evento, com a participação direta dos dois representantes da etnia potiguara, numa ocasião ímpar de aprendizagem e divulgação científica.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload